4 dicas para ser um bom digital influencer

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O gamer PewDiePie se mantém no topo do ranking de youtubers mais bem pagos do mundo e faturou U$ 15 milhões em 2016. 

Foto: Divulgação

No entanto, recentemente, o The Wall Street Journal resgatou postagens antigas do influenciado com conteúdos anti-semitas. O resultado foi o cancelamento de seu contrato com a Disney, já que nenhuma empresa quer estar vinculada a quaisquer mensagens de ódio publicadas. Esse é apenas um dos exemplos de como a carreira de digital influencer pode sofrer sérios danos por má conduta. A iFruit, agência brasileira de Digital Influencers, preparou quatro dicas para quem quer brilhar nesse segmento. Confira:
Seja cuidadoso: diferente do que muitos pensam a web não é um lugar sem leis. Despejar discursos de ódio, com o ilusório escudo do “é apenas minha opinião”, não funciona mais. Repense posts, reveja seus antigos e tente compartilhar ideias positivas. Se coloque no lugar do outro antes de dizer o que pensa sobre determinado assunto ou pessoa. Expor, xingar e ofender personalidades ou culturas, além de não pegar bem, é crime e pode render processos judiciais.
Seja sincero: quando uma marca entra em contato com o criador de conteúdo, é importante ele avisar seus seguidores que está recebendo para falar sobre determinado produto ou serviço. Não adianta o influenciador tentar enganar seus seguidores: ele não necessariamente precisa avisar que está sendo pago, mas deixar isso claro de alguma forma, seja na linguagem ou nos textos que compõem o post, é imprescindível.
Trabalhe com marcas que acredita: se você é um homem, não tem sentido aceitar um patrocínio de sabonete íntimo feminino, certo? Ao decidir ser um criador de conteúdo, é natural escolher um assunto que se relacione com o seu dia a dia e seus valores. Então, aceite parcerias apenas com produtos ou serviços que gerem conteúdos que dialogam com a sua audiência. Ou seja: não aceite propostas apenas por dinheiro.
Crie laços com as pessoas: não adianta ser heavy user das redes sociais e ignorar os fãs. Responda comentários, proponha enquetes, faça lives etc. O importante é estabelecer uma fonte de diálogo com aqueles que te assistem, e regularmente peça feedbacks. “O que preferem ver?”, “Gostaram desse formato?” e “Do que sentem falta?” são algumas das perguntas que podem te guiar no desenvolvimento do seu negócio como influenciador digital.

Déborah Santos
Triângulo Notícias
15/04/2017

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS