23 servidores municipais pedem afastamento por conta das eleições

Mesmo afastados, os servidores efetivos continuam recebendo.
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Levantamento da Secretaria Municipal de Administração aponta 23 pedidos de afastamento por conta das eleições municipais. Destes, 19 são servidores efetivos e os demais são de contratados, que pediram exoneração. Mesmo afastados, os concursados continuam recebendo os salários. Esta é uma determinação da Constituição Federal, que autoriza o pagamento, mesmo que o servidor se afaste para disputar as eleições.

No entanto, caso o pedido de afastamento seja solicitado e o funcionário público não disputar o pleito, há punições. Nestas situações, o caso é investigado e é aberto um processo administrativo. Havendo comprovação da fraude, o servidor pode ser demitido e até mesmo responder crimes previstos na legislação eleitoral. No caso dos contratados, ao pedir o desligamento eles encerram totalmente o vínculo com o município.

- Continua depois da publicidade -

A Legislação Eleitoral trata como situação de inelegibilidade o não afastamento do servidor público, estatutário ou não, três meses antes do pleito. Trata-se, pois, de afastamento compulsório do servidor candidato, no curso do qual ele tem assegurada a percepção dos seus vencimentos integrais.

QUAL SUA OPINIÃO ? COMENTE!

Os comentários não refletem a opinião do portal. Não nos responsabilizamos por eles e em caso de descontentamento use a opção “Denunciar ao Facebook”. Você está sujeito aos nossos Termos de Uso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

- Continua depois da publicidade -